Atividade Esportiva

Orientação e avaliação das principais atividades esportivas que envolvem o membro superior

Reabilitação Inteligente

Retorno às atividades e orientação direcionada

Resultados

Tratamento individualizado para obtenção dos melhores resultados

Vida Diária

Tratamento visando qualidade de vida para suas atividades diárias

Qualidade de Vida

Devolvendo aos nossos amigos a sensação de independência

Hobby

Doenças específicas tratadas por especialista

Esporte

Recuperando o tempo perdido

Tendinite do Biceps

   Introducao

Tendinite do Bíceps, também chamada de tendinite bicipital, é uma inflamação no tendão principal que une a parte superior do músculo bíceps ao ombro. A causa mais comum desta patologia é o uso excessivo e determinados tipos de trabalho ou atividades esportivas. Tendinite do bíceps pode desenvolver-se gradualmente a partir dos efeitos do desgaste ou pode acontecer de repente como consequência de uma lesão direta. O tendão pode também se tornar inflamado, em resposta a outros problemas no ombro, como lesões do manguito rotator, impacto ou instabilidade.

Este guia vai ajudar você a entender

  • Quais partes do ombro estão afetadas
  • as causas da tendinite do bíceps
  • maneiras de tratar este problema

biceps1

 

Anatomia

Quais partes do ombro estão afetadas ?

O músculo bíceps vai do ombro até o cotovelo na parte da frente do braço. Dois tendões separados (por este motivo este músculo é chamado de bíceps, pois tem duas "cabeças") conectam a parte superior do músculo bíceps ao ombro. Os dois tendões de cima são chamos de bíceps proximal, porque estão mais perto da parte superior do braço.

O tendão principal proximal é a cabeça longa do bíceps. Ele conecta o músculo bíceps com a glenóide. Ele também se junta com a borda ao redor da cartilagem da glenóide, o labrum.

Começando na parte superior da glenóide, o tendão da cabeça longa do bíceps fica na frente da cabeça do úmero. O tendão passa dentro do sulco bicipital do úmero e é estabilizado no local pelo ligamento transverso do úmero. Este ligamento evita que o cabo longo do bíceps se desloque de um lado para o outro.

biceps2

cabeça curta do bíceps liga no processo coracóide da escápula (omoplata). O processo coracóide é um pequeno botão ósseo da frente do ombro. A parte inferior do tendão do bíceps é chamado o tendão do bíceps distal. A palavra distalsignifica  que o tendão é mais para baixo no braço. A parte inferior do músculo bíceps se conecta ao cotovelo através deste tendão. Os dois "ventres" musculares mantém-se separados até um pouco acima do cotovelo, onde eles se unem terminam como tendão do bíceps distal.

A contração do bíceps tem como função primordial a flexão do cotovelo e a supinação (girar o antebraço com a palma da mão para cima). 

Causas

Por que o meu tendão do bíceps está inflamado?

Ações contínuas ou repetitivas do ombro podem causar o uso excessivo do tendão do bíceps. As células danificadas dentro do tendão não tem tempo para se recuperar. As células são incapazes de reparar-se, levando a uma tendinite. Isto é comum em esportes ou atividades que exigem o uso freqüente e repetido do braço, especialmente quando os movimentos do braço são realizadas acima do nível do ombro. Os atletas de arremesso (beisebol, vôlei), natação e uso de raquetes apresentam maior risco.

Os tecidos geralmente apresentam sinais de degeneração. Degeneração em um tendão provoca uma perda da disposição normal das fibras de colágeno, que se juntam para formar o tendão. Quando isso acontece no tendão do bíceps, inflamação ou até mesmo uma ruptura do tendão do bíceps, pode ocorrer.

Tendinite do Bíceps pode ocorrer após uma lesão direta, como uma queda na parte superior do ombro. O ligamento umeral transverso rasgado também pode levar à tendinite do bíceps. Se esse ligamento é rompido, o tendão do bíceps fica livre para saltar ou deslizar para fora do sulco, irritanto e, eventualmente, inflamando o tendão.

Tendinite do bíceps, por vezes, ocorre em resposta a outros problemas do ombro, incluindo:


Ruptura do manguito rotador

Envelhecimento e degeneração normal podem levar a rupturas do manguito rotador e comumente desenvolver a tendinite do bíceps. Quando o manguito rotador está rompido, a cabeça do úmero fica livre para se mover muito para cima e para frente no encaixe do ombro e pode ter impacto no tendão do bíceps. O dano pode começar a enfraquecer o tendão e fazer com que ele se torne inflamado.


Síndrome do Impacto

No impacto do ombro, os tecidos moles entre a cabeça do úmero e a parte superior da escápula (acrômio) ficam presos ou espremidos com certos movimentos do braço.

biceps3

 

Instabilidade do ombro

Condições que alterem a biomecânica do ombro podem criar instabilidade do ombro. Quando se realiza movimentos extremos do ombro de forma freqüente e repetida, tais como jogar tenis ou natação, os tecidos moles de apoio podem eventualmente "esticar-se" e desprender.

O labrum pode começar a se afastar/desprender da glenóide. A luxação do ombro também pode causar a ruptura do labrum. Quando o labrum está rompido, a cabeça do úmero pode começar a deslizar para cima e para frente. 


Sintomas

Quais os sintomas?

Os pacientes geralmente relatam uma sensação de dor profunda diretamente na parte anterior e superior do ombro. A dor pode se espalhar para o músculo bíceps. A dor geralmente é agravada com as atividades acima do nível do ombro. O repouso do ombro geralmente alivia a dor.

Você pode sentir o braço mais fraco para dobrar o cotovelo ou torcer o antebraço em supinação (palma para cima). 


biceps4

 

Diagnostico

Como meu médico pode ter a certeza que tenho tendinite do bíceps?

O seu médico vai primeiro tomar uma história clínica detalhada. 

O exame físico é muitas vezes o mais útil no diagnóstico da tendinite do bíceps. Seu médico pode posicionar seu braço para identificar quais movimentos são dolorosos ou fracos.

 Testes especiais são feitos para ver se as estruturas nas proximidades estão causando problemas.

Raios-X geralmente não são necessários imediatamente. Eles podem ser solicitados se não houver melhora com o tratamento. O raio-X pode mostrar se existem osteófitos (esporões) ou depósitos de cálcio perto do tendão. Raios-X também pode mostrar se existem outros problemas, como uma fratura. Raios-X não mostra tecidos moles como tendões e não mostrará uma tendinite no bíceps.

 Quando o ombro não está respondendo ao tratamento, a ressonância magnética (RNM) ou ultrassonografia também podem ser solicitadas. A ressonância magnética é um exame de imagem especial que usa ondas magnéticas para criar imagens do ombro em fatias. Este teste pode dizer se existem problemas no manguito rotador ou labrum.

A artroscopia também é uma forma para avaliar a dor no ombro que não está melhorando, identificar as lesões e tratar automaticamente, mas é um procedimento cirúrgico e sua indicação deve ser feita por um especialista.

          

             Tratamento

Quais as opções de tratamento estão disponíveis?

O tratamento nao-cirurgico

Sempre que possível, os médicos tratam a tendinite do bíceps  sem cirurgia. O tratamento geralmente começa com repouso do ombro dolorido. Esporte ou atividades são evitados. 

Medicamentos anti-inflamatórios podem ser prescrito para aliviar a dor e para ajudar pacientes a voltar à atividades normais. 

O tratamento também depende de uma reabilitação com fisioterapia.  Terapeutas aplicam terapias para reduzir a dor e inflamação. Quando necessário, os terapeutas também podem avaliar a forma como você faz o seu trabalho ou atividades esportivas para reduzir os problemas de uso excessivo.

Em casos raros, uma injeção de cortisona pode ser utilizada para tentar controlar a dor.


 Cirurgia

Os pacientes geralmente melhoram dos sintomas sem a necessidade de cirurgia, apenas com orientações do médico especialista e um bom programa de reabilitação.

Quando o tratamento conservador não traz resultados satisfatórios seu médico poderá indicar um procedimento cirúrgico.


Acromioplastia

A cirurgia mais comum para a tendinite bicipital é acromioplastia, especialmente quando o problema subjacente é de impacto do ombro. Este procedimento envolve a remoção da saliência óssea formada na frente do acrômio. Ao retirar uma pequena porção do acrômio, mais espaço é criado entre o acrômio e a cabeça do úmero aliviando a pressão dos tecidos moles que estão espremidos no meio, incluindo o tendão do bíceps. Neste procedimento também podemos avaliar toda a cavidade com ombro em busca de outras patologias e repará-las de imediato.

Acromioplastia normalmente é feita através de uma incisão de 4 centimetro de pele sobre a articulação do ombro. E mais recentemente pode ser feita de forma artroscópica, sem necessidade de corte. Este é um procedimento amplamente utilizado na prática cirúrgica mas deve ser realizada por um especialista.

biceps5

Tenodese do bíceps

Tenodese bíceps é um método de reatar a extremidade superior do tendão do bíceps em uma nova localização. Quando este tendão está muito machucado, devemos ressecá-lo de sua origem. Quando ressecamos (cortamos) o tendão do cabo longo do bíceps, algumas vezes ele pode retrair e ficar com uma saliência no braço (chamado de sinal do Popeye). Quando isso acontece, normalmente o paciente apresenta uma  deformidade estética mas a função do braço normalmente NÃO é alterada. Para evitar esta "deformidade" utilizamos a técnica da tenodese. Existem várias formas de se realizar este procedimento.


Reabilitacao

O que devo esperar após o tratamento?


Reabilitacao nao-cirurgica

Você precisará evitar atividades pesadas ou com o membro elevado por 3-4 semanas.

Seu médico poderá receitar medicamentos anti-inflamatórios para alívio da dor e encaminhar para a reabilitação com fisioterapia.